site loader

BR-101: motorista embriagado colide frontalmente com carro e três pessoas ficam feridas

Um motorista de 49 anos embriagado causou um grave acidente de trânsito na BR-101, por volta das 23h30, em Morro da Fumaça. Ele conduzia um Fiat Uno e no Km 368 colidiu lateralmente em um caminhão e depois frontalmente com um Volkswagen Gol, com placas de Tubarão. 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), três pessoas que estavam no Gol ficaram feridas e foram encaminhadas ao hospital pelo Corpo de Bombeiros. Já o motorista do Uno foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil por dirigir embriagado. 

Fonte: Engeplus

Homem encontrado morto em Braço do Norte é identificado

O homem de 44 anos encontrado morto em sua residência, no bairro Floresta, em Braço do Norte, foi identificado. Trata-se de Wagner Vieira Matos Dos Santos.

Wagner é natural de São Paulo e sua família é de Laguna. Um vizinho acionou o Corpo de Bombeiros Militar por volta das 12h, pois desde o último domingo não o via, como também percebeu que não havia movimentação no imóvel.

Quando os bombeiros chegaram, ele estava caído no chão com ferimentos causados por arma branca (faca). A Polícia Civil, o Instituto Geral de Perícias (IGP) e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados ao local.

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil da cidade para apurar o crime. Inicialmente, a principal linha trabalhada pelos investigadores é de que possa ter sido um homicídio.

Em seu perfil nas redes sociais consta que ele era solteiro e trabalhava na Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia.

Tudo indica que Wagner foi assassinado há mais de dois dias pela decomposição do corpo. As investigações são coordenadas pelo delegado Éder Matte.

Fonte: Notisul

Cemitérios ficarão abertos com medidas de prevenção para dia de finados

Com a aproximação do Dia dos Finados, na próxima segunda-feira, medidas gerais e preventivas em relação à pandemia da covid-19 foram emitidas pelo governo do Estado.

De acordo com a nota emitida, o feriado de Finados tem o potencial de causar grandes aglomerações nos cemitérios e seus entornos e a gravidade da emergência causada pela pandemia do  coronavírus exige das autoridades municipais a adoção de todas as medidas possíveis e tecnicamente sustentáveis para a contenção da transmissão.

“Nós não podemos deixar de pedir para a população reforçar as medidas preventivas contra o coronavírus. Não podemos relaxar neste momento e, sendo o Dia de Finados um dia potencial de causar aglomerações nos cemitérios, lembramos as pessoas das obrigações da utilização da máscara, que não deixem para ir só no dia, que diminuam o tempo de permanência nos cemitérios, que mantenham o distanciamento e, principalmente, as pessoas que estejam positivas ou com suspeita de covid-19, que não saiam de casa e mantenham o isolamento”, ressalta Fernanda Ribeiro Borghezan, coordenadora da Vigilância Sanitária e do Coems (Centro de Operações de Emergências Municipais em Saúde) de Tubarão.

As recomendações ainda são para que as barracas/tendas de vendas disponibilizem álcool 70% ou preparações antissépticas de efeito similar para assepsia das mãos de seus clientes. “Vale lembrar que a limpeza ou pintura dos túmulos ou jazigos estão restritas até sexta-feira”, pontua Fernanda.

Autoridades de saúde ainda recomendam que pessoas do grupo de risco (idosos, grávidas, lactantes e portadores de doenças crônicas) evitem a circulação ou locais com aglomeração de pessoas; que todos levem álcool em gel e ainda que evitem tocar em pessoas, objetos e superfícies.

Medidas emitidas pelo Estado

Entre as medidas gerais, está a recomendação de que as visitas aos cemitérios sejam antecipadas; uso obrigatório de máscara por todos os visitantes e trabalhadores dos cemitérios; organização do fluxo de pessoas nos cemitérios durante o feriado; restringir a limpeza ou pintura de túmulos, jazigos e construções equivalentes até sexta-feira; manter as barracas/tendas de venda de flores e alimentos com distanciamento de dois metros entre elas e que sejam demarcados os espaçamentos entre as pessoas de, no mínimo, um metro e meio.

Fonte: Diário do Sul

27 de outubro de 2020 Contran publica regras para que radares não fiquem escondidos

Contran publica regras para que radares não fiquem escondidos

Nova regra para instalação e uso de radares fixos ou portáteis, de forma a evitar que sejam instalados em locais pouco visíveis. Divulgação/PRF

A partir de 1º de novembro, entram em vigor os requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, elétricos, reboques e semirreboques definidos pela Resolução Nº 798, publicada em setembro pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

Com as medidas, o Contran, órgão vinculado ao Ministério da Infraestrutura, pretende privilegiar o caráter educativo, em vez do meramente punitivo, em suas fiscalizações ostensivas no trânsito.

A Resolução 798 apresenta regras e critérios técnicos para instalação e uso de radares fixos ou portáteis, de forma a evitar que sejam instalados em locais pouco visíveis. A norma determina que os locais em que houver fiscalização de excesso de velocidade por meio de medidores do tipo fixo sejam precedidos de sinalização, de forma a garantir a segurança viária e informar, aos condutores, a velocidade máxima permitida para o local.

Segundo o presidente do Contran e diretor-geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Frederico Carneiro, o propósito das mudanças é fazer com que o condutor seja alertado do limite de velocidade da via, perceba os riscos, reduza a velocidade do veículo e, com isso, reduza as chances de sofrer acidentes.

“O que se pretende é fazer com que os limites de velocidade sejam obedecidos em vez de simplesmente multar o condutor. A fiscalização ostensiva e educativa fortalece medidas preventivas e de segurança, evitando violações de normas”, acrescentou Carneiro, em e-mail enviado à Agência Brasil.

Entre as mudanças implementadas estão também a proibição do uso de equipamentos sem dispositivo registrador de imagem; a restrição do uso do radar do tipo fixo redutor em trechos críticos e de vulnerabilidade de usuários da via, especialmente, pedestres, ciclistas e veículos não motorizados; e a publicação da relação dos trechos e locais aptos a serem fiscalizados nos sites da autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via.

Fonte: R7

27 de outubro de 2020 “Santa Catarina não pode parar”, afirma governadora interina

“Santa Catarina não pode parar”, afirma governadora interina

À frente do Executivo estadual, Daniela Reinehr diz que o foco do governo será a retomada da economia de forma responsável e se posicionou contra um possível lockdown na segunda onda do coronavírus

Um novo capítulo da história da política catarinense começou a ser escrito ontem pela governadora em exercício Daniela Reinehr (sem partido).

Ladeada pelo colegiado, a nova chefe do Poder Executivo de Santa Catarina utilizou frases fortes como “Santa Catarina não pode parar” para estabelecer as diretrizes do governo enquanto perdurar o afastamento do governador Carlos Moisés, que pode ser de até 180 dias.

A primeira coletiva da governadora em exercício ocorreu após reunião do colegiado, já com a presença do novo chefe da Casa Civil, general Ricardo Miranda Aversa. Ainda ladeada pelo secretariado escolhido por Moisés, Daniela abriu a coletiva anunciando a intenção de dialogar com a sociedade.

“Hoje a gente dá início a um novo capítulo de uma história que começou a ser escrita há dois anos, quando chegamos a esse governo. Daqui pra frente, vamos conversar muito porque uma das minhas diretrizes é estabelecer um canal eficiente de comunicação com órgãos internos e externos”, anunciou.

Planos para o governo

Daniela também elegeu sete palavras para definir como “compromisso desse governo”: austeridade, simplicidade, integração, diálogo, eficiência, desenvolvimento e legalidade.

A governadora também se antecipou aos questionamentos para rechaçar uma troca completa do primeiro escalão de governo escolhido pelo antecessor.

“Já adianto que eventuais mudanças acontecerão de acordo com a necessidade. Isso porque não quero causar nenhum trauma ou instabilidade. Pelo contrário. Temos que ser resilientes, maduros e serenos diante das mudanças na medida em que forem acontecendo”, relatou.

Ao colegiado, Daniela determinou a continuidade das ações em desenvolvimento.

“Santa Catarina não pode parar. Algumas situações que estão dando certo serão mantidas e aprimoradas e realmente precisamos aprender com situações que não foram bem vistas e melhorá-las”, analisou.

Segundo Daniela, o foco do novo governo será “a retomada da economia de forma responsável, preservando a saúde dos catarinenses e recolocando SC no caminho do pleno desenvolvimento”.

Ao final do pronunciamento, Daniela aproveitou para agradecer à família e à equipe de trabalho, além da defesa no Tribunal Especial de Julgamento, à comissão especial e aos desembargadores, elogiando o TJSC (Tribunal Justiça de Santa Catarina).

Após o pronunciamento, a governadora em Exercício Daniela Reinehr respondeu aos questionamentos dos jornalistas sobre as relações com o governo federal e a Assembleia Legislativa, e a postura a ser adotada na batalha contra a crise de saúde pública provocada pelo novo coronavírus.

De acordo com Daniela, a crise de saúde pública será administrada de acordo com os critérios do Ministério da Saúde. “As questões dos decretos têm que ser analisadas. As prefeituras têm poder de regular e sempre vale a regra mais restritiva. O meu compromisso é não ser a regra mais restritiva. As prefeituras têm essa autonomia”, disse.

Segundo a governadora em exercício, o foco é avaliar cada caso específico para avançar ou recuar. “A minha fala sempre foi de prevenção, de cuidados com a saúde individual e coletiva, sem prejudicar o setor econômico”, emendou Daniela.

Questionada sobre o avanço da doença na Grande Florianópolis, a governadora em exercício revelou contrariedade a um possível lockdown na chamada segunda onda do coronavírus.

“A gente precisa avaliar cada caso. Florianópolis está tendo um avançar da doença, mas, acima de tudo, precisamos isolar os doentes, e não os saudáveis. Existem padrões de segurança que precisam ser avaliados. Eu defendo que o médico é quem deve cuidar do paciente”, afirmou.

Sobre a relação com o parlamento, Daniela defendeu o diálogo para encontrar um deputado que possa assumir a liderança do governo no parlamento e defender a visão do governo do Estado.

“Esse nome será construído junto com os deputados, baseado em afinidade com a nossa visão de governo, porque tem que ser o representante do governo do Estado na Alesc”, definiu.

Daniela também agradeceu ao empenho da deputada Ana Paula Silva, a Paulinha (PDT), como líder do governo do antecessor e defensora de sua absolvição no processo de impeachment.

Indagada sobre o julgamento que afastou o antecessor, Daniela foi taxativa: “não quero ficar ruminando o passado. Não me cabe fazer isso. Eu preciso respeitar os poderes e as instituições. Não sou eu quem vou julgar. Eu preciso administrar Santa Catarina e olhar pra frente, abraçar o Estado como uma dádiva, um compromisso gigante que pretendo fazer com muita honra e responsabilidade”.

A governadora em exercício também salientou a necessidade de aplicar recursos em infraestrutura. “Isso não é um gasto. É um investimento que num curto período de tempo volta para ao governo federal e estadual em renda e desenvolvimento”, declarou. Daniela que pediu para o colegiado avaliar possibilidades de buscar recursos junto ao governo federal para aplicação na área.

O alinhamento com o governo federal foi outra ação destacada por Daniela, que pediu para o colegiado avaliar possibilidades de buscar recursos junto ao governo federal. “Só tenho agradecer ao governo federal pelo apoio que sempre me deu, diante da minha lealdade ao projeto que nos elegeu”, destacou.

Fonte: ND+

Open chat
Entre em contato conosco! =)