site loader
6 de abril de 2022 Universitários fazem protesto solicitando ensino presencial

Pouco menos de um mês após a primeira mobilização, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UniSul de Tubarão realizou com alunos um protesto com pedido de ensino presencial na universidade. A ação aconteceu ontem e cita “os abusos da Ânima”.

A empresa, que adquiriu os direitos da administração da universidade, segue aplicando modalidades de ensino virtual, mesmo com o fim de muitas restrições decorrentes da pandemia de covid-19. Protestos semelhantes estão sendo realizados em diversas cidades em que há universidades administradas pelo grupo Ânima em todo o país.

De acordo com o presidente do DCE, Pedro Henrique Almeida, a organização é contra o modelo híbrido. “E todos os outros abusos impostos pela Ânima. Passamos nas salas de aula convidando os estudantes e percebemos que apoiavam a causa, que entendem que os afeta diretamente”, explica o presidente.

Ainda segundo Pedro, os estudantes tentam reverter a situação. “A universidade não deu sinais de que irá rever esse quesito, porém, estaremos empenhados incessantemente na resolução desse problema”, destaca o presidente.

Segundo os alunos, desde que o Grupo Ânima assumiu a instituição há pouco mais de dois anos, eles afirmam que diversas situações abusivas têm ocorrido contra os acadêmicos. Prédios fechados, alunos estão ficando sem salas de aula e outros.

Na primeira mobilização, a UniSul se manifestou dizendo que o modelo acadêmico estabelecido pela instituição é inovador e incentiva o estudante a desenvolver competências que os preparam para os desafios reais da carreira. “Para tanto, foi construído de forma que alterna a composição com aulas, atividades de extensão presenciais e on-line, entre outros, permitindo o aperfeiçoamento e desenvolvimento de habilidades e competências que serão chaves para a sua formação”, disse a UniSul.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)