site loader

A Matriz de Risco Potencial divulgada ontem pelo governo de Santa Catarina e pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) classifica novamente a Amurel como nível gravíssimo. Na semana passada, a região estava em nível grave.

Pela nova matriz, 13 das 16 regiões de saúde do Estado estão com o alerta gravíssimo (cor vermelha) para transmissão do novo coronavírus. No último boletim, divulgado no dia 7, eram dez regiões em estado gravíssimo.  

As regiões da Grande Florianópolis, Carbonífera e Alto Vale do Itajaí foram classificadas em nível grave (cor laranja). Em relação aos dados da última semana, cinco regiões apresentaram agravamento da situação: Alto Uruguai Catarinense, Extremo Oeste, Extremo Sul, Laguna e Serra Catarinense, que foram reclassificadas para o nível gravíssimo (cor vermelha). A região do Alto Vale do Itajaí manteve a classificação no nível gravíssimo.

De acordo com a epidemiologista Maria Cristina Willemann, a maioria das regiões apresentava ocupação de leitos acima dos 70%. “O que mais chamou a atenção foi um aumento no número de casos confirmados durante a semana, o que possivelmente é um indicativo de como a pandemia pode se encaminhar nas próximas semanas”, completa.

Sinais de alerta

Pela matriz de risco apresentada, cada dimensão deve ser interpretada como um sinal de alerta. O aumento do risco em cada uma delas motiva o aumento do risco da região, e deve ser considerada na priorização da atuação local, segundo o governo do Estado. A Amurel ficou com risco grave devido à alta ocorrência de óbitos e à expansão da pandemia. Já a transmissibilidade apresentou praticamente todas as regiões em nível gravíssimo, à exceção das regiões da Serra e Carbonífera. No que diz respeito ao percentual de testes PCR positivados, a Amurel se enquadra em nível gravíssimo, mesmo havendo uma redução do número de testes realizados no período. Sobre a ocupação de leitos de UTI reservados para covid-19, a região ficou em nível grave.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)