site loader
11 de junho de 2021 Região tem mais de 40 famílias desalojadas

A quinta-feira foi de muito trabalho nas cidades atingidas pelas fortes chuvas. Pontes caídas, fluxo de trânsito comprometido e prejuízos foram registrados. Além disso, algumas famílias precisaram deixar suas residências devido aos alagamentos ou pelo risco de desmoronamento. Na região, pelo menos 40 famílias precisaram ser desalojadas.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil da regional de Tubarão, Anderson Martins Cardoso, Laguna, Pescaria Brava e Imaruí foram as cidades que mais sofreram com a enxurradas. Nestas cidades, famílias deixaram seus lares e foram realocadas em casas de parentes e centros de acolhimentos.

“As famílias que tiveram que sair de suas casas em Tubarão já puderam retornar. Já nas demais cidades, vão ter que esperar um pouco mais. Algumas estavam com muita água ainda dentro da residência e outras precisaram sair por prevenção”, informa o coordenador. Ele completa que o monitoramento das equipes da Defesa Civil segue em toda região.

Em Pescaria Brava, as famílias que não têm para onde ir estão sendo encaminhadas para o CTG do Preto Velho. Já em Laguna, foi estruturado um centro de acolhimento no ginásio da Udesc. Os locais estão equipados com colchões, cobertores, kits de higiene pessoal, álcool em gel, máscaras e cozinha comunitária para uso coletivo.

Doações em Laguna
Além do centro de acolhimento, a secretaria de Assistência Social e a Fundação Irmã Vera, de Laguna, estão recolhendo mantimentos para doar aos que necessitam. É possível contribuir através de doações de cobertores, agasalhos, alimentos e materiais de higiene. Os donativos podem ser entregues na base da Defesa Civil, no Centro Administrativo Tordesilhas, região central da cidade.

Localidades mais atingidas recebem ajuda

Equipes da Defesa Civil de Laguna, acompanhadas da Guarda Municipal e secretaria de Obras da cidade, percorreram ontem os pontos mais atingidos pelas chuvas, localizados no Distrito de Ribeirão Pequeno. Os locais foram sinalizados e profissionais avaliaram os prejuízos para o planejamento dos reparos que serão necessários.

Em Cabeçudas, outra equipe da secretaria de Obras e Assistência Social passou nas residências atingidas para levantar a necessidade de abrigo e alimentos às famílias, além de auxílio para retirada dos móveis danificados com a enchente. Segundo informações da Casan, em Laguna, os pontos que estavam sem abastecimento de água, na região do Bananal ao Ribeirão Pequeno, já foram restabelecidos e normalizados.

Ainda na cidade, as escolas municipais seguiram com aulas não presenciais. Na quarta-feira, professoras e alunos da creche Pequeno Príncipe, do bairro Cabeçudas, precisaram ser retirados pela Defesa Civil, após a água invadir a unidade. Hoje, uma equipe vai vistoriar as unidades escolares atingidas pelo temporal e avaliar os estragos, assim como apontar medidas necessárias para recuperar os danos. Ainda hoje as aulas presenciais seguem suspensas na cidade.

Imaruí decreta estado de emergência

Devido às fortes chuvas, Imaruí decretou estado de emergência após serem registrados quedas de muros, danos em vias públicas e de pontes na zona rural, alagamentos, deslizamentos e desalojamentos. Laguna e Pescaria Brava decretaram situação de emergência após a enxurrada.

Ontem, em Imaruí, a secretaria de Assistência Social recebeu a doação de 21 colchões. “Esta doação é extremamente importante para qualificar o atendimento nos acolhimentos. Quem ganha com isso é a população mais vulnerável. Esse tipo de iniciativa é algo fundamental em tempos difíceis, como o que estamos vivendo”, destaca o coordenador de Assistência Social da cidade, Kelvin Martins.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)