site loader
13 de abril de 2022 Protestos contra aulas a distância do grupo Ânima podem gerar CPI na ALESP

As reclamações contra o modelo de ensino a distância adotado pela UniSul, administrada pelo grupo educacional Ânima, estão longe de ser uma exclusividade de Tubarão. Na última segunda-feira (11) uma audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) tratou do assunto.

Estudantes de ao menos duas universidades particulares do estado administradas pelo grupo (São Judas Tadeu e Anhembi-Morumbi) fazem a mesma queixa registrada em Tubarão: estão pagando mensalidade para cursar aulas presenciais, mas continuam em ensino híbrido com aulas online.

O colunista Lúcio Flávio publicou com exclusividade no Sul Agora no início de março a informação de que alunos da Ânima, assim como em Tubarão, também protestavam em outras cidades pelo Brasil. A coluna pode ser lida aqui

O deputado estadual Carlos Gianazzi (PSOL), que propôs a audiência pública, propôs a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias.

Uma reportagem da TV Alesp registrou o tema. O grupo Ânima administra 27 universidades no Brasil.

Fonte: Sul Agora

Open chat
Entre em contato conosco! =)