site loader
30 de abril de 2021 Polícia alerta: Golpe simula pesquisa sobre covid

Mais uma vez, criminosos estão se aproveitando da pandemia para roubar contas de WhatsApp na região. O vereador de Imbituba Renato Figueiredo (PSB), o Ladiada, quase foi uma das vítimas.

Segundo o vereador, ele recebeu na última terça-feira a ligação de um suposto pesquisador do Ministério da Saúde que estaria fazendo um “levantamento sobre a covid-19”.

“O atendente foi solícito, educado. Perguntou se eu podia responder algumas perguntas e disse que sim. Ele questionou se eu tive covid-19, se algum familiar tinha se infectado, se houve mortes por conta da doença no meu bairro. Foi tudo muito profissional e eu realmente acreditei que se tratava de uma pesquisa”, explica Ladiada.

Ao fim da conversa, o vereador recebeu uma mensagem e, logo depois, veio o pedido para que ele confirmasse um código que tinha recebido via SMS. Quando a pessoa passa a sequência de seis dígitos aos golpistas, perde acesso ao aplicativo de troca de mensagens e abre as portas para os criminosos. “Eu acabei passando o código, mas logo percebi que se tratava de golpe. Eu acessei outro celular, mandei um novo código para mim mesmo e acabou que os golpistas não conseguiram acessar meu aplicativo”, conta.

Ladiada também acionou a Polícia Civil assim que notou o golpe. “Uso redes sociais há bastante tempo, sou vereador, já ouvi sobre esse e outros golpes, mas é um momento de bobeira, de descuido. Daí vemos que qualquer pessoa pode mesmo cair nesse golpe. Aqui mesmo, em Imbituba, outras pessoas não tiveram a mesma sorte e acabaram caindo”.

Desde o início da pandemia, o DS já mostrou diversos casos de vítimas que caíram ou quase caíram nesses crimes aplicados via telefone. Ainda em março do ano passado, uma moradora de Laguna também recebeu uma suposta ligação do Conselho Estadual de Saúde, fazendo perguntas sobre a covid-19 e falando que ela tinha direito a um “kit covid-19”.

DICAS PARA EVITAR PROBLEMA

A polícia já divulgou diversos alertas sobre os golpes que são aplicados pelo telefone, já que os criminosos costumam se aproveitar do momento delicado, como a pandemia, para tentar enganar as pessoas. Entre as principais dicas está não clicar em links com mensagens suspeitas, com expressões do tipo “urgente”, “atenção”, “não deixe de repassar”, “compartilhem antes que excluam”, “divulgue para seus contatos” ou com ofertas fora do comum. O cuidado deve ser redobrado com situações que exigem dinheiro ou dados de cartões de crédito. Caso tenha sido vítima, faça um boletim de ocorrência na delegacia virtual da Polícia Civil (www.pc.sc.gov.br). Denúncias também podem ser feitas pelo telefone 181 e pelo WhatsApp (48) 98844-0011. O Ministério da Saúde também já informou que não faz agendamento de qualquer tipo de vacina, nem envia códigos para celular ou e-mails para os usuários do SUS. E orienta a não fornecer dados e denunciar às autoridades competentes, caso a pessoa receba esse tipo de contato.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)