site loader
10 de junho de 2021 Municípios avaliam estragos após fortes chuvas

Após contabilizar estragos devido às fortes chuvas registradas ontem, a prefeitura de Laguna decretou situação de emergência. Ao todo, de acordo com dados informados pelo município, foram 160 milímetros de chuva em apenas 24h.

Os bairros mais atingidos foram no Distrito de Ribeirão Pequeno (Parobé, Figueira e Morro Grande), Barranceira e Cabeçuda.

Conforme a prefeitura, houve deslizamentos de terra, danificação de estradas, pontes, muros de casas caídos, acessos interrompidos e pontos de alagamentos em diversos bairros da cidade. O decreto deve vigorar por um prazo de 90 dias, podendo ser prorrogado.

Ainda devido à situação, ontem as aulas na rede municipal de ensino de Laguna foram suspensas. Alunos da creche Pequeno Príncipe, de Cabeçuda, precisaram ser retirados do local pela Defesa Civil do município. A Guarda Municipal e a Defesa Civil emitiram um alerta para risco de desabamento de pontes nas comunidades do Distrito do Ribeirão Pequeno. Por precaução, as linhas de ônibus do município foram interrompidas.


Carros ficam submersos

Além de Laguna, Pescaria Brava também foi bastante castigada com as chuvas. Com os alagamentos, carros chegaram a ficar submersos em algumas ruas. Devido à situação, ontem, a cidade também decretou situação de emergência.

Tubarão tem três famílias desalojadas

As fortes chuvas que caíram na região trouxeram problemas pontuais para Tubarão e, por consequência, aos moradores. Segundo a coordenadoria de Proteção e Defesa Civil, alguns deslizamentos foram registrados em locais como o chamado Morro do Bem Bom, no bairro São João margem esquerda. Da mesma forma, a terra cedeu em alguns pontos da localidade do Rio do Pouso Alto, onde a estrada geral chegou a ser interrompida.

Houve ainda o registro de pontos de alagamentos em alguns bairros do município, como no Recife, Humaitá de Cima, São João margem direita, Oficinas e Santo Antônio de Pádua. Três famílias precisaram sair de suas casas por terem sido invadidas pelas águas, sendo deslocadas até a residência de parentes pelo Corpo de Bombeiros.

Pontes de três cidades são levadas pela água

Assim como nas demais cidades atingidas pela chuva, Gravatal, Imaruí e São Martinho tiveram prejuízos. Em Gravatal, diversos pontos precisaram ser interditados e sinalizados. Houve queda de ponte na localidade do São Roque, estrago na ponte do Indaial e na ponte do Caeté ao Ângulo, além de alagamentos na Várzea das Canoas e na Ilhota.

Em São Martinho, a ponte da comunidade Canto dos Back, por exemplo, ficou submersa. Na comunidade de Canto dos Martins, uma das pontes teve as cabeceiras levadas pela força das águas. Já no Morro dos Kock, a estrutura da ponte também não resistiu e foi toda arrastada pela correnteza. Em ambas as localidades, o deslocamento dos moradores ficou comprometido. Em Imaruí, a ponte da comunidade do Ribeirão de Imaruí também caiu.

Municípios da região registram estragos

Em Imbituba, ruas foram alagadas em pelo menos seis bairros, deixando o trânsito comprometido. A água chegou a entrar em algumas residências, em Nova Brasília.

Jaguaruna também teve pontos de alagamentos registrados em algumas áreas. Sangão teve alagamentos pontuais em algumas estradas. As aulas do período vespertino chegaram a ser suspensas, mas apenas como medida preventiva.

Em Capivari de Baixo, foram desobstruídas bocas de lobo, valetas e valas. Os pontos mais críticos da cidade ficaram nos bairros Três de Maio e Caçador, na região do Loteamento Camila.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)