site loader
8 de abril de 2021 Morte por febre amarela reforça importância da vacina

A morte de um homem de 34 anos, morador de Águas Mornas, na Grande Florianópolis, trouxe um alerta para a importância da vacinação. Foi o primeiro registro de vítima fatal da doença neste ano no Estado.

No mês passado, a morte de oito macacos em Santa Rosa de Lima deixou as unidades de saúde vigilantes sobre a possível presença da doença na região.

A coordenadora da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) de Tubarão, Gabriela Nunes Martins, lembra que as precauções com a doença partem da prevenção. “Estamos orientando a população para a vacinação precoce da febre amarela e sobre os cuidados em casa, para não deixar água parada, que pode contribuir para a procriação do mosquito transmissor da doença”, afirma a coordenadora.

Ainda na região, foram encontrados 57 macacos mortos e que alguns deles positivaram para a febre amarela. A coordenadora ainda explica que os animais mortos são um sinal de alerta, mas que não são eles os responsáveis pela doença. “Quem causa a doença é o mosquito Haemagogus em área silvestre e o Aedes aegypti em área urbana”, explica.

Dentre os principais sintomas estão: febre, dor de cabeça, dores no corpo, náuseas e vômitos, fraqueza e cansaço, dor abdominal e icterícia (pele amarelada). Muitos desses indícios assemelham-se aos da covid-19, por isso, Gabriela orienta que, em caso de alguma sintomatologia, deve-se procurar uma unidade de saúde para que se façam os exames necessários para identificar a doença.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)