site loader
29 de março de 2021 Mal nas finalizações, Criciúma perde o clássico contra o JEC e segue na zona de rebaixamento

O clássico 192 entre Criciúma e JEC, disputado na noite deste domingo, dia 28, na Arena Joinville, não terminou bem para o Tigre. O time de Hemerson Maria acumulou chances, sobretudo no primeiro tempo, mas ficou no quase e ainda viu o rival abrir o placar com um bonito gol de David Lopes aos 18 minutos do primeiro tempo. Sem pontaria, a equipe carvoeira rondou a área do goleiro Fabian Volpi, mas não teve qualidade para empatar, saiu derrotada e amargando mais uma rodada na zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense.

Com o resultado, o Tigre é apenas o 11° colocado, com três pontos, e recebe o Próspera na quarta-feira, dia 31, no estádio Heriberto Hülse. Já o Coelho é 3°, com 11 pontos, e volta a campo também na quarta, contra o Juventus, em Jaraguá do Sul.

Criciúma no ataque

O Criciúma implantou um bom ritmo de jogo nos minutos iniciais e criou lances efetivos, sobretudo jogando pelo lado esquerdo do campo de ataque. Foi neste setor que o atacante Pedrinho levou a melhor sobre a marcação de Edson Ratinho.

Logo aos dois minutos, Gabriel Silva arrancou com a bola dominada e foi derrubado por Banguelê. Quando todos esperavam o cruzamento, Pedrinho bateu direto para o gol e obrigou Fabian Volpi a uma grande defesa.

O Tigre seguiu à vontade. Aos seis, Pedrinho recebeu lançamento na ponta esquerda, dominou com qualidade e arrematou. A bola passou raspando a trave do JEC e saiu pela linha de fundo. O time da casa respondeu aos nove. E logo na primeira chegada assustou o goleiro Gustavo, que espalmou chute forte de Alison Mira.

Mais duas chances, mas…

Ainda com Pedrinho, o time do técnico Hemerson Maria chegou outras duas vezes com força ao ataque. Mas faltou qualidade no arremate. Aos 11, o camisa 10 passou pela marcação e parou em nova defesa do camisa 1. Aliás, sem grandes sustos, Fabian Volpi venceu novo duelo contra o atacante um minutos depois: Pedrinho foi acionado no bico da grande área, limpou o lance ao dominar no peito, e na hora do chute faltou qualidade, bateu fraco e praticamente recuou para o goleiro.

As chances desperdiçadas custaram caro. O JEC foi ganhando ritmo e passou a jogar no campo de ataque. Aos 18, abriu o placar. Davi Lopes recebeu na entrada da área e com a categoria que faltou para Pedrinho, bateu colocado e fez 1 a 0.

Faz o gol, Tigre! 

Mesmo depois do revés, o Tigre não se desesperou e seguiu articulando boas situações. Aos 25, o lateral-direito Léo avançou pelo corredor e chutou cruzado. Fabian Volpi espalmou nos pés de Gabriel Silva. Era para empatar, mas o camisa 9 se enrolou, não conseguiu arrematar e desperdiçou mais uma para os criciumenses.

O JEC passou a trocar passes procurando o melhor momento para agredir a zaga carvoeira. Aos 30, Alison Mira recebeu em velocidade e marcaria o segundo, não fosse uma saída providencial de Gustavo, que de carrinho desarmou o atacante e afastou o perigo.

Os minutos finais podem ser resumidos em escanteios acumulados pelo Tigre até que Pedrinho resolveu arriscar o chute, que saiu para fora. E aos 40, a zaga do JEC saiu errado, Gabriel Silva recebeu com liberdade, avançou em direção a área e… finalizou fraco e contribuiu com a nota de Fabian Volpi, que novamente levou a melhor sobre o ataque carvoeiro. Aos 46, ele defenderia mais uma.

Segundo tempo morno

Para dar mais qualidade no setor ofensivo, Hemerson Maria voltou para a etapa final com o meia Dudu no lugar do lateral-direito Léo. Com a alteração, Moacir foi deslocado para a lateral. Nos minutos iniciais da segunda etapa, menos velocidade e mais toque de bola. Isto para ambos os lados. O Criciúma ficou mais com a posse, mas encontrou dificuldade para abrir espaços. Já o Coelho passou a explorar bolas longas, sem efetividade.

Com o jogo morno, o técnico do Criciúma partiu novamente para as alterações. Saíram Eduardo e Mateus Anderson, entraram Rullian e João Carlos. Vinícius Eutrópio também promoveu alterações: deixaram o campo Alison Mira, Diego Mathias e Renan Castro, entraram Douglas Packer, Paulo Vitor e Vinícius Freitas.

Aos 27, Pedrinho chutou e a bola saiu com desvio pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, a zaga cortou e João Carlos pegou o rebote. O chute saiu em direção ao gol, mas novamente um desvio evitou o gol carvoeiro. 

O Tigre passou então a pressionar na bola aérea. E dá-lhe chuveirinho na área, só que sem efetividade. Pelo lado do Joinville, os comandados de Vinícius Eutrópio passaram apenas a observar o Criciúma jogar. Quando tinha a bola, girava o jogo para ganhar tempo. 

Por fim, Hemerson Maria trocou Gabriel Silva por Marcus Índio e Adenilson por Eduardo Melo, enquanto Eutrópio substituiu Davi Lopes e Gustavo Ermel por Diogo Santos e Yaya Banhoro.

Já no final do jogo, Pedrinho foi ao fundo e cruzou rasteiro. Bem posicionado, Índio desviou, mas a bola foi para fora. Com a última chance desperdiçada, o Tigre amargou a sexta partida sem vitória no Estadual. OBS: o campeonato tem 11 rodadas.

Confira a ficha técnica para Joinville 1×0 Criciúma

Competição: Campeonato Catarinense, 6ª rodada.

Data: Domingo, dia 28 de março.

Local: Arena Joinville, em Joinville. 

Horário: 19 horas.

Arbitragem: William Machado Steffen apita a partida, auxiliado por Kleber Lucio Gil e Helton Nunes.

Gols: Davi Lopes (18’ 1°T) (JEC);

Joinville: Fabian Volpi; Edson Ratinho, Fernando, Charles e Renan Castro (Vinícius Freitas); Banguelê, Davi Lopes (Diogo Santos) e Diego Mathias (Paulo Vitor); Thiago Santos, Alison Mira (Douglas Packer) e Gustavo Ermel (Yaya Banhoro).

Técnico: Vinícius Eutrópio

Criciúma: Gustavo; Léo (Dudu), Philipe Maia, Marcel e Hélder; Eduardo (Rullian), Moacir e Pedrinho; Adenilson (Eduardo Melo), Gabriel Silva (Marcus Índio) e Mateus Anderson (João Carlos).

Técnico: Hemerson Maria.

Fonte: Engeplus

Open chat
Entre em contato conosco! =)