site loader
27 de março de 2021 Governador Carlos Moisés é afastado e vice Daniela Reinehr assume

votação do impeachment do governador de Santa Catarina, que começou às 9h desta sexta-feira (26) e acabou por volta de 23h30 com a proclamação por parte do presidente do tribunal, desembargador Ricardo Roesler, afastou o Carlos Moisés do cargo por crime de responsabilidade na compra dos respiradores.

O placar do impeachment terminou com seis votos a favor e quatro votos contrários. Com isso, a decisão afasta Moisés por até 120 dias a partir da próxima terça-feira (30). A vice-governadora Daniela Reinehr assumirá interinamente.

Excluída do pedido de impeachment em 13 de outubro, na comissão especial que aprovou, por unanimidade, o parecer de Valdir Cobalchini (MDB), a vice-governadora, Daniela Reinehr assume o cargo novamente.

Acompanhe o placar da votação sobre prosseguimento do impeachment:

1. Rosane Wolff: SIM

2. Desembargadora Sônia Schmitz: SIM

3. Deputados Marcos Vieira: NÃO

4. Desembargador Roberto Pacheco: SIM

5. Deputado José Milton: NÃO

6. Desembargador Luiz Zanelato: SIM

7. Deputado Valdir Cobalchini: NÃO

8. Deputado Fabiano da Luz: NÃO

9. Desembargador Luiz Fornerolli: SIM

10. Deputado Laércio Schuster: SIM

A sessão

Após a abertura, o presidente do tribunal de julgamento, desembargador Ricardo Roesler, negou o pedido de suspensão do julgamento, impetrado às vésperas pelo deputado Ivan Naatz (PL).

O parlamentar questionou a participação do deputado José Milton Scheffer (Progressistas) na votação, por se tratar do líder do governo Moisés na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina).

Roesler avaliou desrespeito à legitimidade do parlamentar que, na sessão, “não atua como parlamentar, mas como legislador”. O presidente do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) afirmou, ainda, que Scheffer foi eleito pelos próprios parlamentares para compor o tribunal e que a sessão foi marcada quando ele já estava na liderança do governo.

Manifestações dos advogados de acusação e defesa

Os advogados de acusação e defesa falaram em seguida, antes do início da votação do impeachment do governador catarinense. Eles tiveram 15 minutos para defender suas posições.

Entre os advogados de acusação, Bruno de Oliveira Carreirão, Dulcianne Beckhauser e Leonardo Borchardt. Beckhauser foi a mais contundente e defendeu a necessidade do prosseguimento do impeachment, uma vez que as investigações sobre o caso ainda não foram concluídas.

Fonte: NDmais

Open chat
Entre em contato conosco! =)