site loader

Após meses com pico de internações nas UTIs nos três hospitais com leitos SUS para covid-19 em Tubarão, Laguna e Imbituba, inclusive com dezenas de pacientes em fila de espera por uma vaga, a região aos poucos começa a ter esperança em dias melhores, com a estabilização no número de casos graves. Nenhum dos três está com ocupação máxima de leitos – dos 30 disponíveis pelo SUS, atualmente, 19 estão ocupados.

Até ontem, o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão, estava com 11 pacientes internados na UTI covid. Destes, oito estavam em leitos SUS (há dez disponíveis atualmente), e três por convênio de saúde.

Já no Hospital São Camilo, em Imbituba, que tem dez leitos UTI SUS disponíveis, três pessoas estavam internadas. Em Laguna, no Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos, dos dez leitos, oito estavam ocupados.

“Nos últimos 15 dias, o Hospital Nossa Senhora da Conceição tem apresentado uma baixa no número de internações nos casos de pacientes com a covid-19. Apesar da matriz de risco do Estado colocar a Amurel com potencial gravíssimo, os números têm diminuído na nossa instituição, principalmente nas enfermarias. No boletim desta quarta-feira, tivemos um dos menores números: 29 internações pela covid-19; destas, 11 pacientes em terapia intensiva e nenhum paciente aguardando leito de UTI. Acreditamos que a forte campanha de vacinação no município de Tubarão tem colaborado para estes números”, avalia o diretor-executivo do HNSC, Fabio Tadeo Teixeira.

“Sabemos que ainda é cedo para comemorar, mas a baixa nos casos da covid-19 tem permitido ao HNSC voltar, aos poucos, às atividades normais com atendimento da alta complexidade. Tivemos, ao longo do último ano, consultas e exames especializados e também cirurgias eletivas represadas por causa da pandemia, e agora voltamos a reagendar e atender os casos. Continuamos com algumas restrições na instituição, assim como alertando a população que, mesmo com a vacina, ainda é necessário respeitar o uso de máscaras e manter os demais cuidados com o vírus, para não retomarmos os altos números registrados meses atrás”, pontua o diretor.


Vacinação é fundamental para índices caírem

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde de Tubarão, Daisson Trevisol – também presidente do Cosems (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Santa Catarina) -, afirma que todo este resultado de agora é efeito da vacinação, que faz com que tenha redução na transmissibilidade e redução do agravamento. “E quanto mais jovens estiverem vacinados, mais vagas sobrarão nas UTIs. Não vai acabar com a pandemia agora, mas vai reduzir desta forma. Então, temos que continuar fazendo isso: vacinar as pessoas, fazer o monitoramento epidemiológico de todos com sintomas, como estamos fazendo, e agilizando este processo em todo o Estado. Na região, a tendência é que mantenhamos estes números mais baixos. Estamos preocupados agora com a variante Delta, que está chegando no Estado. Ainda não há casos comunitários aqui, mas temos que continuar os cuidados. Então, o fato é: temos que vacinar a todos o mais rápido possível para poder sair em breve esta pandemia”, reforça.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)