site loader
7 de junho de 2022 De dona de casa a empreendedora, confira a história dessa Braço Nortense

A produtora rural Maria Rosinete Souza Effing se tornou mais um case de sucesso no mundo dos negócios. Aos 60 anos, ela comanda, junto com o marido, um sítio em Braço do Norte, onde por dia são produzidos, em média, 1,5 mil litros de leite por um rebanho de vacas.

O produto entregue pela fazenda é uma alternativa para consumidores que sentem algum desconforto gastrointestinal ao beber leite.

Recentemente, o casal empreendedor também decidiu expandir o negócio e montar um laticínio para a produção de queijo no local. “Estava vendo que só tirando leite e vendendo para outros laticínios não estava me dando o retorno que achava necessário, por isso, tomamos essa decisão”, comenta Rosinete.

Na época, a produtora contou com o apoio de consultores do Sebrae/SC. “Fizemos vários trabalhos juntos, como o genoma dos animais, a viabilidade do negócio. Foi importante para mim, porque até então nunca havia feito isso”, lembra. Segundo ela, era tudo novo, pois começou a empreender aos 43 anos e antes era dona de casa.

Para ajudar nessa nova etapa, o Sebrae/SC também propôs um novo desafio a Rosinete: participar da solução Empretec, principal programa de formação de empreendedores no mundo, em Braço do Norte, contabilizando 60 horas de capacitação. O convite foi aceito por ela. “Decidi parar no trabalho, dentro do possível, para participar. Foi definitivamente maravilhoso, porque eu sou muito agitada e não me imaginava sentada uma semana inteira. E por mim  ficaria duas”, garante. Atualmente, o Empretec é promovido em 40 países.

O programa retornou após seis anos na cidade. A última edição foi realizada em um município próximo: Rio Fortuna. “Todos os participantes gostaram muito do treinamento, eles se dedicaram e, com certeza, na semana seguinte já começaram a aplicar os ensinamentos em suas vidas”, comenta o consultor Mauro.

Incentivo ao empreendedorismo local

Em Braço do Norte, o treinamento abordou as características do comportamento empreendedor. “Estava faltando para mim essa tranquilidade de parar, analisar e organizar as metas. Era tudo meio atrapalhado na minha cabeça. Agora está muito claro, depois do Empretec, o que eu posso, devo, quero e tenho que fazer para que o negócio funcione e tenha a rentabilidade que preciso”, declara Rosinete. Além dela, outros 13 empreendedores participaram do momento. “Eles puderam se experimentar nesse laboratório e enxergar os comportamentos que já tinham como empreendedores e não sabiam”, comenta o consultor do Sebrae/SC e um dos responsáveis pelo treinamento, Mauro Camargo.

Fonte: Diário do Sul

Open chat
Entre em contato conosco! =)