site loader
31 de maio de 2022 Criação de abelhas sem ferrão e seus benefícios é incentivada pela Cegero

Com o objetivo de oportunizar à comunidade mais conhecimento sobre  as abelhas sem ferrão e, que além dos benefícios ecológicos, é possível tirar proveito econômico, a Cooperativa de Eletricidade de São Ludgero (Cegero) promoveu um Curso Básico de Meliponicultura para alunos que integram o grupo “Com-Vida” da Escola de Educação Básica São Ludgero (EEB São Ludgero), professores e meliponicultores. O curso foi ministrado pelo pesquisador da Embrapa de São Paulo, Ricardo Costa Rodrigues de Camargo. Também participaram do curso funcionários da cooperativa.

Para os alunos que integram a Comissão de Meio Ambiente e qualidade de Vida (Com-Vida) da Escola de Educação Básica São Ludgero (EEB São Ludgero) e seus professores é riquíssima a oportunidade de participar de uma formação de meliponicultura com o especialista que, atualmente, é uma das maiores referências do Brasil na área, o pesquisador da Embrapa, Ricardo Costa Rodrigues de Camargo.

A capacitação aconteceu nos dias 19 e 20 de maio na Sede Administrativa e contou com teoria e prática. Um dos maiores criadores de abelhas sem ferrão da região, Ozires Esser Suethe, morador da comunidade do Bom Retiro, marcou presença apresentando aos participantes várias espécies que possui em sua propriedade. 

A evolução das abelhas sem ferrão, aspectos ecológicos, biológicos, os produtos, arquitetura de ninhos, a diferença entre espécies, histórico da meliponicultura, instalação e povoamento de meliponários, enxames, colmeias, equipamentos, utensílios, manejo reprodutivo e produtivo, boas práticas no manejo, pragas, cuidados e beneficiamento dos produtos foram temas abordados durante o curso promovido pela Cegero.

A proposta que resultou no curso aconteceu após uma conversa entre as professoras Samyra Orbem, Eloise Schlickmann, a Diretora Geral da instituição, Angelina Walter Sizenando Veronez, o Coordenador Administrativo e de Regulação da Cegero, Flávio Schlickmann, e a Supervisora de Gestão de Pessoas da Cegero, Francieli Dimon.

A professora de Biologia, Eloise Schlickmann, informa que os alunos que integram a “Com-Vida” criaram um Eco Espaço na instituição de ensino, o qual possuem abelhas sem ferrão. “Na conversa que tivemos com o Flávio surgiu a proposta do curso para que todos ampliassem o conhecimento sobre as abelhas sem ferrão tornando-se multiplicadores desse conhecimento”, pontua. Ela acrescenta que o mel e o pólen, armazenados pelas abelhas sem ferrão, podem ser explorados pelo homem, constituindo-se em fonte de renda, especialmente para pequenos produtores.

O Coordenador Administrativo da Cegero, Flávio Schlickmann, diz que a iniciativa dos alunos é interessante, e se encaixa na proposta da cooperativa em relação ao apoio a projetos ambientais, esse inclusive, ligado diretamente à mascote da Cegero, a abelhinha Mel. “Nós, Cegero, acreditamos que ao incentivar a criação das abelhas sem ferrão estaremos contribuindo diretamente com o Meio Ambiente e a sociedade de forma geral. A capacitação serviu para ampliar o conhecimento sobre o assunto e sanar dúvidas. A Cooperativa, num segundo momento, investirá na melhoria do Eco Espaço existente para criação de abelhas sem ferrão na instituição de ensino”, acrescenta. Ele completa lembrando que a mascote da Cegero também é uma abelhinha sem ferrão.

Já o pesquisador da Embrapa, Ricardo Costa Rodrigues de Camargo, que ministrou o curso lembrou que o estado de Santa Catarina tem uma expertise muito avançada quando o assunto é a abelha sem ferrão, inclusive, em relação a parte que envolve legislação. “As pessoas conhecem pouco sobre as abelhas sem ferrão e a Cegero  oportunizou o aprofundamento do assunto”, enfatiza. 

Open chat
Entre em contato conosco! =)