NO AR: Programa Stylo On Line
Com: Bena e Val Bena e Val
PEÇA SUA MÚSICA
PARTICIPE AO VIVO (48) 3658-4000

Fumicultores buscam alternativas após prejuízos

  • 05 de Dezembro de 2017 - 07:00:22
  • Texto: A- A+
Fumicultores buscam alternativas após prejuízos

Neste ano, as alterações climáticas como a estiagem e as chuvas acumuladas resultaram em prejuízos drásticos, principalmente aos fumicultores de Grão-Pará. O município, conhecido por suas belezas naturais e que tem sua economia firmada na agricultura, principalmente nas culturas básicas como o fumo, milho e feijão, chegou a decretar estado de situação de emergência (Decreto nº 45/2017) no mês de outubro, e desde então busca apoio do governo do Estado para amenizar o impacto econômico. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Grão-Pará, José Schmitt Bussolo, o município conta com mais de 1,2 mil hectares com plantações de tabaco. A estimativa é de que houve perda de mais de 40% das lavouras, o que representa prejuízo de mais de R$ 15,2 milhões para os agricultores locais. 

O presidente do sindicato relata que a Defesa Civil e o governo do Estado não reconheceram o decreto municipal, porém, a secretaria de Estado da Agricultura e Pesca enviou um ofício em apoio aos produtores. “A secretaria disponibilizará linha de crédito Juro Zero para os fumicultores de até R$ 20 mil e ainda a Linha Investimento para implementar a propriedade com recurso de até R$ 100 mil para pagar em oito anos a juro de 2,5%. O programa Terra Boa também foi prorrogado e recebemos mais cem bolsas de semente de milho. Esse apoio é uma conquista para os agricultores e amenizará parte do prejuízo que afetou todo o município”, detalha. 

A colheita do fumo segue até o final deste mês com notória perda da qualidade e do peso. Bussolo ressalta que outras culturas como o milho e até o gado leiteiro também foram afetados pelas intempéries. “A maioria dos fumicultores fazem rotatividade na propriedade e também trabalham com o gado leiteiro, que sofreu com a seca. Esse ano o município todo sentiu os efeitos do clima, e estamos buscando soluções para recuperar os danos”, reforça.

A equipe do curso de agronomia da Unisul se disponibilizou para auxiliar na análise da lavoura. “Eles farão exames laboratoriais para definir o que realmente ocorreu. Após o resultado, faremos uma reunião com as famílias para apresentar o diagnóstico e debatermos estratégias de prevenção para a próxima safra”, informa.  Mais de 98% da produção do fumo está concentrada no Sul do Brasil. Dados do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco apontam que a cultura é desenvolvida em 574 dos 1.191 municípios de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. São 144.320 famílias e, aproximadamente, 576 mil pessoas no meio rural que sentirão os efeitos das oscilações climáticas.

Notisul


Últimas Notícias

Inquérito Policial aponta feminicídio em caso de modelo morta em Imbituba
PM apreende mais de 12 quilos de maconha
Delegacias fiscalizam postos e mercados da região
Suspensão de serviços em Santa Rosa de Lima
Ver outras notícias
PARTICIPE AO VIVO (48) 3658-4000
COMERCIAL (48) 3658-2460